“Entre marido e mulher não se mete a colher”, diz o povo, mas, se em vez da “colher” se meter, “uma garrafinha de tinto”, a situação é vista como uma experiência afrodisíaca que irá apimentar a relação conjugal. Ora, nós discordamos.

O consumo irresponsável de álcool desenvolve um tipo de comportamento, de teor agressivo, que corrói as relações entre as pessoas, principalmente com as que nos são mais próximas, não só entre parceiro/a - parceiro/a, como também entre pais e filhos, sem esquecer os amigos, claro. 

O que acontece é que muitas vezes as pessoas com problemas com o álcool, veem o consumo exagerado como forma de resolver outros problemas alheios ao álcool, e muitas vezes, necessitam de alguém, um familiar, um amigo, etc, que lhes mostre uma alternativa, uma forma menos destrutiva de lidar com os seus problemas, contudo nem todas as pessoas sabem como abordar/ajudar a pessoa problemática.  Assim, a presença de profissionais qualificados na análise destas problemáticas pode ser a sua solução, para finalmente poder ajudar a pessoa em causa.

Concluindo, nós achamos que a “colher” deve ser metida não só entre marido e mulher, como em qualquer pessoa, porque todos nós temos pessoas de quem gostamos e queremos o melhor para elas, e não devemos ficar calados quando achamos que há um problema a acontecer, a pessoa até pode ignorar e continuar o uso destrutivo do álcool, mas pelo menos fica a saber que existem alternativas e pessoas que podem ajudar, o que não é pouco.